30/04/2010

noturno

Eu gosto muito da noite, sempre gostei. Puxei isso da mamãe que também prefere a corujice. Só que por esses momentos a noite tem sido tristonha, esquisita. Os dias ensolarados caem melhor, dão mais vontade. Mas isso é normal. Acostumar-se, preencher os pensamentos, ir adiante. Um passo de cada vez. Vai dando certo...

26/04/2010

eternidade


Tenho recebido muito carinho, muitos cuidados vindos de lá e de cá. Obrigada. Estou bem. A sensação é de profunda tristeza, leve. Será que isso se explica? Não há o que faltou nem o que sobrou, a fé escancarou-se, a certeza também. Há eternidade.

Papai sempre foi um homem alegre, otimista. Não sabia debruçar sobre problemas, não conseguia lamentar-se, nem ver dificuldades. Sempre optou pelo lado da crença, do presente, dos sonhos, de realizar hoje, falar, brigar, amar. Perdoar e pedir perdão só se fosse agora. Não fazia drama, gostava de contar casos e piadas, era atento. Aprendeu o que deu, e sabia de tudo. Amou muito. Amou a mamãe, cada um de nós, dos netos, dos amigos e amou a si mesmo. Foi fiel. Foi ele.

A morte é muito consternante. Priva-nos da visão, do som da voz, da rotina da presença. Mas a morte também é aliviante, é a chance de recomeçar, de fazer tudo o que talvez já não desse mais. Deus é misericordioso e nos carrega no colo na dor. Estar aberto pra Deus é impagável e imprescindível. Ah, eu agradeço cada segundo de hoje. Agradeço por todos os segundos que vivi ao lado do meu pai amado, e todos os que viverei ainda ao lado de tantos que me querem bem. Estou em paz. Com o coração leve, leve. Sentindo sabores que nunca senti, enxergando o que já via de um modo que nunca percebi antes. Sentidos ampliados, acústicos.

Quero agora manter-me assim, seguindo os sábios e diários conselhos do Seu Pedro, vistos de forma tão simples. Quero deixar tudo o que vivemos, as boas sensações voarem alma adentro. Quero viajar, ir pra onde se desejava. Estar e estar com minha mãe querida. Minha mãe é forte e uma grande alma. Meu amor, minha melhor amiga. Quero estar com meus irmãos, meus sobrinhos, cunhados, com meu marido e meus filhos e minha família e meus queridos amigos.

Quero só isso, e tudo isso. Quero continuar tudo por causa do papai. Que ensinou a gente assim, e se foi apenas daqui dos meus olhos, só do contato dos meus olhos. Mas que vive, como nunca, na eternidade. Feliz.

22/04/2010

Um dia igual aos outros, que terminou assim.

Alo..
Oi pa
Oi filha! Ta boa?
To pa..
Onde ce ta?
To indo buscar o César.
Mas já essa hora? Num tá na eii?
Não, é que eu tive uma reunião e hoje tenho que pegar umas cxs de leite lá no Grêmio
Hunnm, por isso que esse negócio não vai pra frente...
Rs, mas e vc? E a mama?
To bom, ta tudo bem, hoje nós fomos lá perto da tua casa.
Ah é, vc falou que ia. E aí?
Arrumei chifre em cabeça de cavalo.
Porque?
Pegamos dois serviços grandes de duas empresas.
Ué, isso é bom, graças a Deus.
É, mas se eu não botasse a língua pra fora depois de 10 passos.
Ah, tá bom pa, melhor assim que sem o serviço.
É... Acho que vou comprar um cavalo pra andar pelas firmas. Uns patins...
Aí é que ce não dá 5 passos.
É.....bão então tá.
O pa, ja to chegando aqui na garagem da Nestlé e mais tarde eu ligo pra vcs, tá?
Ta, ta bom. As crianças tão bem né?
Tão!
Então tchau. Dá um beijo neles.
Ta, eu dou. Bj.
Bj.
*************************************************

Mã, que foi? Que aconteceu?
Nada.... Teu pai passou mal na diálise mas já tá bom.
Como assim passou mal na diálise e tá bom?
Ta ué, pera que ce fala com ele.
Alo.
Oi pa, que foi?
Nada, eu passei mal aqui mas já to bom.
Mas o que foi?
Dor no peito, mas o enfermeiro já me deu o remédio e eu ja to novo.
Pai como assim? A Lu falou que vc tem que ir pro hospital.
Tua irmã é exagerada, minha pressão já ta 13 por 8...
Bom pa vc ta bem mesmo?
To to falando que to, fica sossegada.
Ta bom, me dá noticias.
Ta, e as crianças?
Tão bem pa, tão aqui te mandando beijo.
Isso! Manda beijo pra elas também.
Ta.
**********************************************
Alo
Mã, e aí?
Tamo aqui esperando,filha.
Mas e aí, e o papai.
Ta aqui, ta bom é que a ambulância demora mesmo.
Deixa eu falar com ele.
De novo?
É de novo.
Oi filha.
Pa, ce tá bom?
To..... Ce ta chorando porque?
Porque eu quero que vc fale a verdade.
Mas eu to falando, eu to bom, pára de chorar aí senão eu vou chorar aqui.
...
Eu to bão. Ce tá com medo que eu vou empacotar é? Eu não vou, vou fazer as bodas ainda.
...
Jura pa?
Eeee, para filha de chorar.
Então jura por Deus que vc vai sarar.
Ta bom. Eu juro por Deus. Eu vou sarar.
Ta. Beijo pa.
Beijo filha.


Fim.

16/04/2010

eu conto me encanto e me encontro


Uma vez no ano, o Via convida os pais para irem contar histórias pra classe dos seus filhos. Vai quem quer ou pode, e eu e o César estamos sempre lá (de verdade eu bem que espero esse dia que me reconecta com o que, eu acho, que verdadeiramente é meu dom).

Vai aqui as historinhas que contei nas sextas, 9 e hoje 16/04. Poemas e histórias de ilustres cariocas - em homenagem ao nosso Rio que vem sofrendo, mais do que o de costume.

2 poemas pra lembrar que a gente veio ao mundo pra amar mais que tudo.
1 historinha pra gente seguir sempre a nossa própria opinião.
2 animadas, belas e singelas historinhas para as meninas e para os meninos. Gostosinhas que só.

Os pequenos gostaram, e eu mais ainda. Valeu 1º ano!!! Obrigada meus três amores!!!

A Borboleta (Olavo Bilac)

Trazendo uma borboleta,
Volta Alfredo para casa.
Como é linda! é toda preta,
Com listas douradas na asa.

Tonta, nas mãos da criança,
Batendo as asas, num susto,
Quer fuguir, porfia, cansa,
E treme, e respira a custo.

Contente, o menino grita:
"É a primeira que apanho,
"Mamãe! vê como é bonita!
"Que cores e que tamanho!

"Como voava no mato!
"Vou sem demora pregá-la
"Por baixo do meu retrato,
"Numa parede da sala".

Mas a mamãe, com carinho,
Lhe diz: "Que mal te fazia,
"Meu filho, esse animalzinho,
"Que livre e alegre vivia?

"Solta essa pobre coitada!
"Larga-lhe as asas, Alfredo!
"Vê com treme assustada . . .
"Vê como treme de medo . . .

"Para sem pena espetá-la
"Numa parede, menino,
"É necessário matá-la:
"Queres ser um assassino?"

Pensa Alfredo . . . E, de repente,
Solta a borboleta . . . E ela
Abre as asas livremente,
E foge pela janela.

"Assim, meu filho! perdeste
"A borboleta dourada,
"Porém na estima cresceste
"De tua mãe adorada . . .

"Que cada um cumpra sua sorte
"Das mãos de Deus recebida:
"Pois só pode dar a Morte
"Aquele que dá a Vida!"

São Francisco (Vinícius de Moraes)

Lá vai São Francisco
Pelo caminho
De pé descalço
Tão pobrezinho
Dormindo à noite
Junto ao moinho
Bebendo a água
Do ribeirinho.


Lá vai São Francisco
De pé no chão
Levando nada
No seu surrão
Dizendo ao vento
Bom-dia, amigo
Dizendo ao fogo
Saúde, irmão.


Lá vai São Francisco
Pelo caminho
Levando ao colo
Jesuscristinho
Fazendo festa
No menininho
Contando histórias
Pros passarinhos.

Maria vai com as Outras (Sylvia Orthof)

Era uma vez uma ovelha chamada Maria. Onde as outras ovelhas iam, Maria ia também. As ovelhas iam para baixo Maria ia também. As ovelhas iam para cima, Maria ia também.
Um dia, todas as ovelhas foram para o Pólo Sul. Maria foi também. E atchim! Maria ia sempre com as outras. Depois todas as ovelhas foram para o deserto. Maria foi também.
- Ai que lugar quente! As ovelhas tiveram insolação. Maria teve insolação também. Uf! Uf! Puf! Maria ia sempre com as outras.
Um dia, todas as ovelhas resolveram comer salada de jiló.
Maria detestava jiló. Mas, como todas as ovelhas comiam jiló, Maria comia também. Que horror! Foi quando de repente, Maria pensou:
“Se eu não gosto de jiló, por que é que eu tenho que comer salada de jiló?”
Maria pensou, suspirou, mas continuou fazendo o que as outras faziam.
Até que as ovelhas resolveram pular do alto do Corcovado pra dentro da lagoa. Todas as ovelhas pularam.
Pulava uma ovelha, não caía na lagoa, caía na pedra, quebrava o pé e chorava: mé! Pulava outra ovelha, não caía na lagoa, caía na pedra e chorava: mé!
E assim quarenta duas ovelhas pularam, quebraram o pé, chorando mé, mé, mé! Chegou a vez de Maria pular. Ela deu uma requebrada, entrou num restaurante comeu, uma feijoada. Agora, mé, Maria vai para onde caminha seu pé.

A Bailarina (Cecília Meirelles)

Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina.

Não conhece nem dó nem ré
mas sabe ficar na ponta do pé.

Não conhece nem mi nem fá
mas inclina o corpo para cá e para lá.

Não conhece nem lá nem si,
mas fecha os ohos e sorri.

Roda, roda, roda com os bracinhos no ar
e não fica tonta nem sai do lugar.

Põe no cabelo uma estrela e um véu
e diz que caiu do céu.

Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina.

Mas depois esquece todas as danças,
e também quer dormir como as outras crianças.

O Mosquito Escreve (Cecília Meirelles)

O mosquito pernilongo
trança as pernas, faz um M,
depois, treme, treme, treme,
faz um O bastante oblongo,
faz um S.

O mosquito sobe e desce.
Com artes que ninguém vê,
faz um Q,
faz um U, e faz um I.

Este mosquito
esquisito
cruza as patas, faz um T.
E aí,
se arredonda e faz outro O,
mais bonito.

Oh!
Já não é analfabeto,
esse inseto,
pois sabe escrever seu nome.

Mas depois vai procurar
alguém que possa picar,
pois escrever cansa,
não é, criança?

E ele está com muita fome.

12/04/2010

não vou (e nem quero) me adaptar

Ando encontrando uma dificuldade em sintonizar os canais da minha vida. Percebo que um lado está totalmente ajustado, mas o outro vive em desencontro. A verdade é que eu não caibo mais nas roupas que eu cabia...

O que antes eu achava bacana, ou suficiente, hoje não me aquece, nem me interessa mais. Ficou tudo ultrapassado na minha moda. Eu fico com um pé no mais completo exercício da felicidade versus a sabatina de ter que aturar o que não tá nem de perto nos meus planos de daqui a 5 minutos.

Mas e agora José? Passo a borracha? Viro as costas que é minha vontade?

Vixe, tô é numa enrascada. Mas o melhor de tudo, ou pior, é que talvez eu ainda não saiba o que quero, mas já tenho certeza absoluta do que não.

Ai, ai!

06/04/2010

inspirado em fatos reais: Senioridade

Já sei, na ponta do pé... hummm!! ah, espichando o olho. Se eu correr lá atrás dá certo, poxa nada disso, nada! Mas o que será que tem lá em cima? Detrás dessa caixa gigante de madeira, que todo mundo chama de balcão? Mamãe encosta o braço por ali e bufa. Porque tá brava se ela enxerga tudo? Eu queria muito saber o que se passa por ali, mas ninguém olha pra cá.! Ninguém atende meu chamado, e ó que eu puxo a blusa dela, e do papai também, que chega aqui, dá só uma espiada, e vai lá pra fora sei lá porque. Deve ser tão legal poder ver o que tá acontecendo. Ahn já sei. Um cantinho deve ter, daqueles que a gente põe os olhos e pisca por causa do ventinho. Uma vez veio no vento um fiapinho de madeira, um pózinho que me tirou a alegria. Cocei tanto o olhinho aquele dia, ficou vermelho e tudo, minha irmã mais velha disse bem feito por eu ser inxiridinho, mas ela consegue enxergar tudo também, por isso é chata desse jeito. Hannn, deixa ver, aqui. Não... ali parece que.. não! Humpf! Há de ter um cantico de nada. Eu gosto de cantos, os estreitinhos são os melhores. Lá em casa embaixo da escada, no meio das caixas das cortinas que mamãe não usa mais, e não deixa ninguém usar é bem legal. Pra entrar ali tem um segredo! Tá vou contar vai, só pra você... Tem que entrar bem de ladinho senão não passa, assim abaixando, e de lado, sabe? é um esconderijo. Mas por aqui??? Olha!!! quem tava lá na frente parece que vai embora. Porque tanta gente fica querendo o mesmo lugar? E do outro lado? Por onde essa voz que fala e grita, entrou ali? não tem porta! Nossa quanta coisa que eu não sei só porque não vejo... to ficando triste. Ah, tá... idéia! Vou perguntar pro vovô como ele advinha tudo, porque ele também não enxerga, mas ele sabe, ué. Mamãe me leva na casa da vovó? Eu tenho um assunto muito importante pra tratar com o vovô, eu tenho coisas pra dizer pra ele. Me leva? agora? hoje? mas vc leva? jura? pode? .......... Ô vô.. como você faz pra enxergar tudo o que não consegue? Você estica o pé? espicha o olho?, corre pra trás? pede colo? Como vc faz? hein? hein?
Não filho, eu espero! Esperando, sossegado, sem aflição, nem desespero, a gente enxerga mais do que todo mundo.
Até de olhos fechados? É!! mesmo de olhos fechados.
Ahhhhh!

Não gostei, não.

guardadinho

eu sou

Minha foto
Gosto de boniteza, de arrumação, da moda dos anos 30. De margaridas e pérolas verdadeiras. Gosto da noite, de gente dando risada, do sabor colorido de um prato de feijoada. Gosto de sair e de mudar, gosto de família, de amigos e com eles estar. Gosto de dança e de criança, e gosto muito, muito do mar.