24/02/2009

região noroeste

Aqui em Araçatuba, cidade do César, faz tanto calor, mas tanto calor, que até o computador fica suando. É um sol de fritar miolos num céu tão azul que dói os olhos. Os olhos ainda ardem com o cloro da piscina, porque desse jeito só dentro da água o dia inteiro. Eu tô feliz aqui, apesar de derreter. Depois do incidente do Natal que me fez voltar a 200 Km pra São Paulo, agora vim e chegamos sem nenhum imprevisto. E aí, tudo igual. Os cunhados gritam no jogo de baralho, minha sogra que não vê a hora dos netos pequenos em trio chegarem pra espalhar pra eles um monte de brinquedos novos, meu sogro que enche a geladeira de tudo que a gente gosta, as brincadeiras que não acabam arrastadas nos erres caipiras, poRta, toRta... e um entra e sai na casa deles sem parar, que agora diferente das outras vezes, vêm pra ver ainda minha perna quebrada. É, Araçatuba é longe de São Paulo pra dedéu, uma viagem longa e cansativa, uma cidade que muitas vezes eu desejei que fosse pelo menos 300 Km mais perto de mim, mas hoje eu tô muito mais feliz de ter vindo, mais do que todas as vezes. É que quando eu cheguei percebi que sou querida por aqui demais. Tava todo mundo esperando muito esse momento, e em pleno carnaval a gente comemorou o Natal de 2008. Num brinde eu agradeci por estar nesta terra quente e comer castanha e nozes em pleno mês de fevereiro assistindo a Portela, e o melhor, cercada da família Sousa Lima. Que é bem minha também.

20/02/2009

alegria meu povo, alegria

Talvez pelo motivo do momento, acordei hoje uma alegria só. Puta, como gosto de estar feliz. Não tem jeito, nasci mais pra sorrir mesmo. Tava com saudade dessa sensação, de ficar leve, de me sentir eu.

Pra se ter uma idéiia fui lá na Emilia Borges e encarei a depilação, até na perna quebrada. Ficou ótimo.

Ah, tô assim, feliz da vida!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

12/02/2009

demora mas vai

As vezes parece que ficamos esquecidos, que a rebimboca da parfuseta encrencou de vez e nem as ave marias darão jeito. Só que passa, com firmeza passa. Firme como prego na areia...
Vai, demora mas vai!

01/02/2009

milho pra bode

Barulho maldito.

Masca de boca aberta porque é fartura demais. Nojice misturada com raiva de tanto desperdício. Tá fácil assim, fácil demais e agora não tem jeito de ficar de outro jeito. O barulho da boca estalando irrita, entra nos tímpanos, ensurdece.

Ensurdece.

Inferno,tanto milho assim pra bode. Bode gosta de capim.

E aquele nhan, nhan vai dando náuseas, fúria. Nem o berro dos mais agudos abafa o estalido daquela boca, que come e baba o que nem sabe o que é.

Sai de mim bode de araque. Voltei do pasto e nem quero mais ver tua fuça. Vou te jogar feno agora, e do pior. Agora você engorda, porque é só capim que você conhece.

Sai de mim tempo perdido, sai de mim.

eu sou

Minha foto
Gosto de boniteza, de arrumação, da moda dos anos 30. De margaridas e pérolas verdadeiras. Gosto da noite, de gente dando risada, do sabor colorido de um prato de feijoada. Gosto de sair e de mudar, gosto de família, de amigos e com eles estar. Gosto de dança e de criança, e gosto muito, muito do mar.