18/09/2009

pula menina

Rola feito um caracol toda manhã, de um lado pra outro na cama que nem é tão grande assim, mas o suficiente pra segurar a vontade de levantar bem presinha. Depois começam os chamamentos, parecidos com lamúrias de almas Levanta... Levanta..., mas que o que, mais uma roladinha pra lá. Sobe o braço direito, estica a perna esquerda, vira mais um tico. Levanta os dois pés, mexe e remexe. Mas a sombra se aproxima, e quando ela vem, já vai logo escancarando a janela pra luz entrar. Gosta da luz, mas prefere as cobertas naquela hora. E toda manhã é assim. Rolo, rola, risos e por final um salto. Fazer o que?

09/09/2009

o segredo

A gente veio aqui pra ser gente.

Não foi pra ser rico, nem pobre. Não foi pra ser famoso, nem desconhecido.
Não foi pra ser amado, nem odiado.

A gente veio aqui pra ser gente.

Porque se quer ser rico ou pobre, e daí?
Famoso, solitário, amado, odiado, seja o que for

é preciso ser gente antes.

Senão não se é nada, se está apenas. E essa sensação de estar tudo e não ser nada, é que incomoda a alma.

Ser gente! esse ó o segredo.

02/09/2009

Cansada de tanta informação e de correr atrás de mais um monte, ela sentou na janela e resolveu não ouvir, pelo menos um mesmo tipo e naquele dia, mais nada. Desligou o rádio, a TV, os fios conectores que invadem a vida de pé no peito. O telefone, enterrou lá fora num lugar que nem o vibrar pudesse ser percebido. Micros, macros, tudo encerrado e foi-se ela ter com outras boas dicas e deixas.

Parou pra ser informada das notícias vindas da terra, do cheiro, da luz. Do som dos passarinhos, dos bichinhos. O choro das crianças, os risos. O barulho da corda, do grilo. A moda de viola, o sossego. A informação dela pra ela mesma, que fazia tempo que não ouvia, preocupada em tanta informação de outros.

Um alívio de paz, misturado com medo de não ser mais parte de algo. Mas de que?
Ela também riu naquela hora, e percebeu que grande tolice representar. Que a vida muda, passa, evolui, mas que você é assim, mesmo que queira ser diferente. E isso não tem nova resposta, porque no final das contas, mesmo com tanta cordilheira em volta, a neve da tua cabeça é a única que gela ou embeleza a sua alma.

eu sou

Minha foto
Gosto de boniteza, de arrumação, da moda dos anos 30. De margaridas e pérolas verdadeiras. Gosto da noite, de gente dando risada, do sabor colorido de um prato de feijoada. Gosto de sair e de mudar, gosto de família, de amigos e com eles estar. Gosto de dança e de criança, e gosto muito, muito do mar.