13/07/2013

dia do rock

Passei o dia hoje sabendo que era Dia do Rock, vendo os amigos e suas comemorações sem muita inspiração pra dizer o que sentia a respeito desse estilo musical. Aí, cheguei em casa com 5 crianças pilhadas e dois adolescentes à flor da pele, e minha memória foi trazendo lentamente uma fase da minha vida. Lembranças que se formaram, tão boas... algumas até consegui, num fechar de olhos, ver bem na minha frente exatamente como naquele tempo. A coleção de discos de vinil, por exemplo, que o Flávio tinha de tantos grupos de rock. Nomes que na época eu mal sabia pronunciar, como Black Sabbath, Pink Floyd e seu triângulo que me dava medo, Judas Priest que eu associava com o Judas de Jesus. As fitas cassete gravadas, escritas à mão do AC/DC com um raio no meio eu também vi. O Flávio desenhava bem e vivia desenhando caveiras e raios do AC/DC pelos cadernos, blusas e tudo mais. Eu tinha 10 anos. Vivi isso no meio daquela barulheira, aquelas roupas meio sujas, sério, que ele usava. Dos amigos cabeludos, do casaco preto longo e do crânio que parecia de osso mesmo, que ele deixava em cima da cômoda do quarto que dividimos por todo o tempo. Éra isso e o rockeiro lá de casa.
Junto dessas lembranças me veio um sentimento tão terno, tão bom, tão ingênuo, totalmente diferente do que o rock propõe, eu acho. Fraternal. E eu descobri que é isso que essa música carrega em mim, uma época onde o Flávio, que é meu irmão, e eu, estávamos sempre juntos apesar das diferenças de idade ou gostos. Num tempo onde ainda não tínhamos feito tantas coisas, certas e erradas das quais, talvez, nos arrependemos ou, bem provavelmente, viemos a celebrar. Numa fase onde a vida podia tudo, onde sonhávamos com o que iríamos ser, ter ou fazer. Onde devotamente a melhor música era aquela que nos fazia voar, pensar e subir - a nossa escada para o céu...

Flá, obrigada por me mostrar o rock e o seu amor. Te amo.



eu sou

Minha foto
Gosto de boniteza, de arrumação, da moda dos anos 30. De margaridas e pérolas verdadeiras. Gosto da noite, de gente dando risada, do sabor colorido de um prato de feijoada. Gosto de sair e de mudar, gosto de família, de amigos e com eles estar. Gosto de dança e de criança, e gosto muito, muito do mar.