28/09/2010

sim

Eu quero sim.

Quero os que gostam de mim, os que me abrem seus sorrisos. Quero os que não fazem promessas. Eu quero aqueles do olhar, que não precisam, não se explicam. Que preferem o silêncio e não a solidão. Quero os que sabem afastar-se do que foi inventado e vivem simplesmente. Quero os que não jogam, nem iludem. Quero os dos cantos, dos encantos, os legados, os aprendizados. Somente.

Eu quero sim.

20/09/2010

Esse dia 20





Reservei esse dia pra ficar alegre. Juro que luto pra isso, porque desde cedo parece que as cenas tristes puxam meu pé. Mas o que é triste? a morte? Ontem assisti pela trilhésima vez Patch Adams, na Record eu acho, sem querer e sem tirar do canal, sabe como é? E ele fala aos médicos sobre a morte. Ele pergunta porque temos tanto medo da morte, de falar sobre ela, de tratá-la. Porque não com tranquilidade, com até certo ponto, humor? E pensei nessa hora que também acredito nisso, mas a luta é a saudade e não a morte... De qualquer forma, decidi pela alegria hoje, independente dos olhos molhados e de bater de cruzada na cara da tristeza. E por isso homenageio minha mãe e meus filhos, num ensaio mágico de vida, de novo ano, de tudo de bom.

10/09/2010

9, 10, 11




Dia 9 é dia de Sofia, 10 é de folia, e 11 é de tudo o que eu mais queria, dia do aniversário da Julia, do Pedro e da Bia.

08/09/2010

colombina

E de repente a gente fica se perguntando um monte de tranqueiras, tipo, que é que eu fui fazer quando decidi entrar pro ramo da promoção? justo eu que detesto participar delas, que não tenho saco sequer para o cadastro. Bom, ganhar é outra coisa, disso eu gosto. Talvez por aí??

Ou então, quando desisti de ser estilista e parei de cortar roupas das revistas pra vestir modelos na minha imaginação? Aos 8 anos? 10?

Porque não insisti na Pedagogia, aliada a Psicologia - quase dons naturais?

Mas a verdade é que não é só esse tipo de pergunta que tenho feito a mim mesma, mas muitas outras. Umas, nem posso escrever aqui, chocaria uma parte da população jabuticabeira, eu sei.

Perguntas que sempre sabemos as respostas, mas que mantemos, de certa forma, elas quietinhas.

Bom, algumas, por fórceps, se respondem, arrancadas no ferro. E putz, depois que saem aliviam, mas doem, deixam as marcas da decisão errada, imatura, covarde, inpensada? Sei lá baby, mas que já foram.

Em parte até dá pra dar umas risadas da merda toda, em outra, uma viagem segue até onde poderia estar, se fosse por outro caminho.

Arrependimento? Não, sério!
Apenas, reconhecimento.

E reconhecendo vamos errando. Pelo menos, em outros carnavais.

01/09/2010

setembro


Dia 01, eu gosto.
O mês de setembro sempre foi tudo de bom pra mim. Não posso explicar porque, mas ele vem chegando e vem me dando umas certezas, assim!. Me lembro, mesmo sem saber o que, da sensação boa que esses 30 dias, todo o tempo, me deram. Mês que acaba o inverno e traz as flores, que eu amo, amo e amo, que nasceram os meus filhos, a maior e mais importante história que eu tenho. Mês que recebo boas notícias, que ganhei aumentos, promoções, concursos de vendas, competições, elogios (lembro de uns e até hoje fico sem jeito mas feliz) que decido algo novo, que é cheinho e gostoso de falar, s-e-t-e-m-b-r-o... Bom também porque ele arrasta a boa vibe até o final do ano. Parece que tudo clareia, esquenta, modifica. Uma maratona boa.Vem por aí. Eu sei.

eu sou

Minha foto
Gosto de boniteza, de arrumação, da moda dos anos 30. De margaridas e pérolas verdadeiras. Gosto da noite, de gente dando risada, do sabor colorido de um prato de feijoada. Gosto de sair e de mudar, gosto de família, de amigos e com eles estar. Gosto de dança e de criança, e gosto muito, muito do mar.