19/02/2014

volta e meia

Girar em volta de um mesmo ponto central deve ser muito chato. Espirais não sabem ir em frente, vão dois passos e voltam pro seu caramujo de linhas. 

10/02/2014

roda. Viva

Ela adorava ficar girando. Girava, virava, rodava, rodava...
Ficava tonta e isso era gostoso.
Não podia ver uma argola, um arco, um anel redondinho.

Ela girava, porque o mundo era muito parado.
Virando e olhando para o alto. As nuvens correm mais assim.
A grama sobe, sabia?

Currupio, roda-roda - mas esquece o peixe é.
Girava de noite, rodava de dia.
Que alegria.

Um dia desses, sem querer, o tio Rolando levou ela no parque.
Lá onde colhia algodão, parque não havia. Nem sabia.
Ela foi olhando o pneu do carro que girava muito mais rápido do que o da carroça.

Já tinha valido a saída se fosse só isso, mas qual não foi sua surpresa na hora que a lente do óculos redondo do tio Rolando refletiu aquela roda gigante.

Ela gritou seu nome sem saber que era mesmo esse. Gritou porque nunca tinha visto uma roda tão gigante, não porque sabia qualquer coisa a respeito.

Pulou do carro pela janela quadrada.

Caiu na estrada de terra virando e virando, ralando a perna, batendo o joelho.
Poeira subia e ela olhava pra cima, igual o dia que virou tanto a Tereza que ela voou longe.

Rolando - não o tio, que berrava pra ela não se jogar e depois perdeu de vista a garota - ela foi e foi e ai, e dói e tum, e rola e rola... até os pés da gigante. Mesmo com sangue e cabelo engrunhado, vestido rasgado, ela olhou pro alto e emocionou quem estava na fila.

Subiu, tinha outro jeito de girar naquela roda. Era uma virada dentro da outra.

Assim que a roda foi pro alto ela começou a virar a sua caixinha, forte, forte, mais forte.

E lá no alto, com vento no rosto, girando pra cima, virando pra baixo, pra um lado, para o outro, descabelada e de qualquer jeito....

ela foi a pessoa mais feliz do mundo.  

eu sou

Minha foto
Gosto de boniteza, de arrumação, da moda dos anos 30. De margaridas e pérolas verdadeiras. Gosto da noite, de gente dando risada, do sabor colorido de um prato de feijoada. Gosto de sair e de mudar, gosto de família, de amigos e com eles estar. Gosto de dança e de criança, e gosto muito, muito do mar.